domingo, 6 de abril de 2008

Pra matar a saudade (Parte 2)

Última parada da viagem maravilhosa de virada de ano. Pena que sempre tem que acabar, mas aproveitamos muito bem essa pequena cidade que é Dublin!

Começamos com um dos símbolos, as Dublin Doors. Diz a lenda que na época que a Inglaterra dominou a Irlanda, a rainha exigia que todas as portas fossem pretas, assim, quando o país se livrou dos ingleses, houve uma manifestação silenciosa que foi feita através da pintura das portas:



Um Passeio pelo parque St. Stephen Green





e uma parada para a foto no arco...



que é a saída pra uma das ruas mais badaladas de lojas (tipo uma Oscar Freire), a Grafton StreetUm passeio pelo famoso Temple Bar, que na verdade é um bairro e o Pub mais famoso se aproveitou do nome:


E a importantíssima parada no Trinity College, onde se encontra uma biblioteca super antiga, impressionante (no pictures allowed)



Lá fica arquivado e exposto um dos livros mais antigos do mundo, o Book of Kells, impressionante


Depois de toda essa antiguidade junta, que tal um empurrãozinho no mundo?

Aí estou eu à beira do Rio Lifey que reparte a cidade (e como Paris tem seu charme especial):

Um passeio no ônibus de 2 andares



Rumo à um bairro distante onde o Cris morou no início. Detalhe, ao fundo da foto vemos NEVE nas montanhas:


E por fim, a visita à host mom, Anne. O dog louco, que é da vizinha pulou no colo exatamente na hora da foto, por isso eu saí com essa cara!


À noite um encontro brasileiro num Pub, pra matar a saudades dessa amia doidinha que já se habituou ao clima irlandês. Beijo Taty!


Outro passeio pela cidade. Uma parada no Dublin Castle que ainda serve de sede para eventos governamentais e foi casa da realeza na época do domínio Inglês. Esta torre é a única parte original que sobrou depois de um incêndio:


Seguimos para o Museu onde estava temporariamente instalada uma réplica de barco em tamanho real utilizado em uma recente viagem comemorativa:



Aproveitando o tempo razoavelmente bom, uma caminhada pelo Phoenix Park (o maior parque da Europa)


Uma parada na Dublinia, que conta bem a história dos Vikings e como esse povo chegou à Dublin. Não ficamos bem?

Finzinho de viagem a foto com o monumento central da cidade, a agulha gigante conhecida por "Spire"




Só pra resumir o clima de Dublin, fica noite às 16h30 e mesmo que amanheça com sol, a maioria dos dias termina assim:
Agora é hora de planejar a próxima... e prometo que vou atualizando as novidades daqui de Angola!


















2 comentários:

disse...

Eba!!! Vc finalmente conseguiu terminar de contar sua viagem pela Europa!!!
Isso é que é determinação, hein? Te admiro, Debs! Hehehe!
Beijocas com muitas saudades e faltam só 18 dias pra gente se ver de novo! Iupi!!!!!

Gatito disse...

Vc tem um poder de sintese... impressionante! Parabéns!
Estou ansioso para a nossa próxima trip... apesar de mais curta, curtiremos 3x mais para compensar... ;)
TE AMO!